| em 19 abril 2011

O Poder da Língua: palavras que machucam!


A Bíblia Diz: As más conversações corrompem os bons costumes

É triste que, no rebanho de Deus, as maiores feridas venham das outras ovelhas, e não de lobos. Paulo alertou sobre os cristãos canibais, que devoravam uns aos outros e destruiam a comunhão. A Bíblia diz que esse tipo de encrenqueiro deveria ser evitado: difamação revela segredos. Portanto, fique longe de quem é falador. A forma mais rápida de pôr fim a um conflito, seja em uma igreja, seja em um grupo pequeno, entre familiares, escola, trabalho e diversos lugares, é carinhosamente enfrentar os que estão fofocando e insistir em que parem.

Acima de tudo, deixem que o amor dirija a vida de vocês, porque assim toda a igreja permanecerá unida em perfeita harmonia. Cl 3.14; BV


A fofoca consiste no ato de fazer afirmações não baseadas em fatos concretos, especulando em relação à vida alheia.

Presente ao longo de toda a História, tal ato é freqüentemente ligado à imagem das mulheres.

O historiador Bernard Capp, da Universidade de Warwick, no Reino Unido, afirma que "a rainha inglesa Elizabeth I, por exemplo, foi intenso alvo de fofocas entre 1560 e 1570. (...) Ela tem um caso? Está grávida? Teve um filho ilegítimo? Boatos assim eram muito comuns entre os ingleses".


Fofoca e os gêneros

Embora associado a um hábito feminino, estatisticamente os homens são mais fofoqueiros. A Social Issues Research Centre, um centro de pesquisas independente de Londres, entrevistou 1.000 donos de telefones celulares com o intuito de saber qual era o teor das conversas. Destes, 33% dos homens eram fofoqueiros habituais, contra apenas 26% das mulheres.

Em termos de conteúdo, pesquisa recente revelou apenas uma diferença significativa entre a fofoca masculina e feminina: os homens gastam muito mais tempo falando de si mesmos. Do tempo total dedicado à conversa sobre as relações sociais, os homens gastam dois terços falando sobre suas próprias relações, enquanto as mulheres só falam de si mesmos de um terço do tempo.

Geralmente os homens fofocam sobre o ambiente de trabalho, gafes de colegas e principalmente sobre mulheres. Também vale ressaltar as razões que levam a fofoca: as mulheres, em geral, é uma maneira de passar o tempo enquanto para os homens pode servir, além de pura informação, como meio de auto-afirmação perante o resto dos amigos e colegas (quando este, por exemplo, gaba-se de ter saido com uma bela mulher).

Curiosamente, muitos dos participantes do sexo masculino desta pesquisa inicialmente alegaram que não fofocavam, enquanto quase a totalidade das mulheres prontamente admitiam fazer fofoca. Em novo interrogatório, no entanto, a diferença parece ser mais uma questão de semântica do que material: o que as mulheres estavam felizes de chamar de "fofocas", os homens definiam como "troca de informações". Um participante do sexo masculino,de forma mais honesta, confidenciou: "Nós não gostamos de chamar de fofoca, porque soa trivial - como se você não tivesse nada melhor para fazer."


Antigamente, para identificarmos um fofoqueiro, ultilizávamos fatores dia-a-dia, como por exemplo: aquela pessoa que ficava no portão, ou na janela o dia inteiro, o cara que vivia no balcão do boteco, e até mesmo, aquela pessoa ficava pendurada ao telefone, etc.

Hoje em dia a fofoca, ou melhor, o fofoqueiro evoluiu, e se utiliza de outros meios bem mais sofisiticados para falar mal da vida alheia. Mas não se engane, pois ele também pode se passar por seu amigo e te conhecer há anos.

A vontade de parecer melhor do que os outros, a inveja, a falta de ética, a falta de princípios básicos de educação, desvios morais, são características básicas, de um bom fofoqueiro de plantão!

Nem sempre a fofoca está relacionada com a falta do que fazer... mas lavar uma louça, ao invés de se meter na vida dos outros, é sempre uma boa terapia.

Acabar com a reputação de um outro indíviduo, é a coisa mais fácil e rápida do mundo... basta uma pitada de exagero na hora de contar um fato... se é que esse fato, existe ou existiu!

Fazer o mal uso das palavras é transmitir informações quando você nem é parte do problema nem parte da solução. Você sabe que espalhar fofocas é errado, e seria melhor nem ouvi-las se quiser proteger sua igreja. Ouvir fofoca é como receptar mercadoria roubada; isso o faz igualmente culpado do crime. Você é do tipo Maria-vai-com as-outras (massa de manobra), que se deixa guiar pelos que outros falam, ou tira conclusões por si mesmo?

Nunca ouvi dizer que uma fofoca, tenha restituído um casamento, aberto uma porta de emprego, ou que tenha ajudado alguém a conseguir um promoção no trabalho.

O único intuíto do fofoqueiro de plantão é aumentar, inflar e inventar fatos que não existem, ou até mesmo, distorcer o contexto de uma situação. Os piores fofoqueiros, são os que se utilizam de fatos da vida alheia, para puxar o tapete de alguém.

Você nunca viu ou verá, um fofoqueiro, bem intencionado.

É mais ou menos assim... O fofoqueiro vê a esposa de um amigo conversando com o irmão dela na rua, veja bem o que eu escrevi: ... CONVERSANDO COM O IRMÃO DELA, NA RUA... mas... quando ele descreve a cena para uma outra pessoa, ou para o marido dela, ele diz: Eu vi a sua esposa conversando com um "ESTRANHO" na rua. Dando aquela breve, mas pontual conotação de que o estranho, possa ser um amante ou um ex namorado da moça.

Identificar um fofoqueiro é mais simples do que possa parecer...

Um fofoqueiro, NUNCA, é ou será um portador de boas notícias. Aliás as boas notícias, ele até deixa passar, porque a felicidade do outro, geralmente o incomoda demais.

Se uma pessoa próxima, fica doente... ele sai por aí falando que a pessoa está com câncer, com aids, com hepatite...

Mesmo que o caso seja de uma simples gripe, o fofoqueiro, sempre inventa uma doença grave.

O fofoqueiro é o ser mais repugnante e infeliz da face da terra. O fofoqueiro é dissimulado, é extremamente curioso e permissivo. Sua semente é a maldade e os seus frutos são a intríga e a desgraça que ele causa na vida alheia.

Quantos casamentos, lares e vidas, já foram destruídas por causa de uma fofoca?

Porém, a fofoca não tem vida própria. Assim como nas regras de Comunicação da Língua Portuguesa, para que a fofoca exista, é preciso que haja um Emissor, um Rceptor, e entre estes, a Mensagem. Mas o que diferencia a Comunicação da Fofoca? Respondo: A forma como a mensagem é transmitida e o tipo de feedback ao final da mensagem.

Um feedback a favor da fofoca, é o que eleva o IBOPE do fofoqueiro.

A humanidade, necessita da comunicação para sobreviver, mas o fofoqueiro precisa da fofoca para se satisfazer.

Mesmo que você não altere ou acrescente uma só palavra daquilo que foi contado, a sua omissão também pode contribuir para o sucesso de uma boa fofoca!


Já pediu pra alguém calar a boca diante de uma fofoca?

Quando alguém começar a fofocar em seu ouvido, tenha a coragem de dizer: “por favor pare!" não preciso saber disso. Procure falar diretamente com a pessoa envolvida”. Pessoas que fofocam para você também irão fofocar sobre você. Tais pessoas não são confiáveis. Se você dá ouvidos a fofoca, Deus diz: Você é um criador de casos. Criadores de caso ouvem criadores de caso. Esses são os que dividem igrejas, pensando em si mesmos.

"Sem lenha, o fogo se apagará; e, não havendo maldizente, cessará a contenda". Pv 26. 20

Segundo publicação no site Wikipedia - "Feedback é retorno de informação ou, simplesmente, retorno. É o procedimento que consiste no provimento de informação à uma pessoa sobre o desempenho, conduta, eventualidade ou ação executada por esta, objetivando orientar, reorientar e/ou estimular uma ou mais ações de melhoria, sobre as ações futuras ou executadas anteriormente."

Digamos que o fedeeback, também pode ser uma resposta, ou o retorno da informação que também pode DESISTIMULAR o Emissor!

Existem três momentos em nossa vida, os quais, nos definirão ou Não, como fofoqueiros.

1) O momento no qual você vê;
2) O momento no qual você ouve;
3) O momento no qual você dissemina.

O receptor sábio, é aquele, que não compactua com o fofoqueiro.

A fofoca vem sempre seguida de mentira, inveja, preconceito e vaidade!

Fique esperto(a) e preste muita atenção com quem você interage... nem todos, são pessoas do bem e merecem o nosso crédito ou a nossa confiança... nem todos são ou estão bem intencionados... Porém, a maior decepção em nossas vidas, é quando a fofoca vem de uma pessoa que nós admiramos e apoiamos...

Lembre-se: "A língua pode ser nossa maior inimiga porque, apesar de pequena, pode causar grandes estragos" (Tg 3. 5-6)

Tiago escreveu que a língua pode ser um instrumento do mal. Ele a chama de um “mundo de iniqüidade”(3.6). a língua tem um terrível poder de afoguear sensualidade, falar blasfêmias, semear contendas, dividir igrejas, endurecer corações e destruir famílias.

Jesus não desperdiçava energia para falar o que não devia. Ele afirmou que não veio julgar a ninguém, mas ajudar. Seu poder era gasto para criar esperança e restaurar o desejo de viver. As pessoas serão julgadas pelas suas próprias palavras. Diante de seus acusadores, ele ficou completamente em silêncio.


Veja esta ilustração

A Fofoqueira

Uma mulher espalhou uma fofoca sobre uma certa pessoa que ela não conhecia bem, mas a invejava. Alguns dias depois, o bairro inteiro sabia a história. A pessoa que foi alvo da fofoca ficou indignada e muito ofendida. Mais tarde, a mulher que espalhou o boato descobriu que era tudo mentira, ficou arrependida e foi visitar um velho sábio para descobrir o que podia fazer para consertar o estrago.

Disse o sábio: Vá até a praça principal – compre uma galinha e mande matar. Depois, no caminho de casa, depene-a e solte as penas uma a uma pela rua. Embora surpresa com o conselho, a mulher fez o que o sábio havia mandado.

No dia seguinte ele disse:

- Agora vá, recolha todas as penas que deixou cair ontem e traga para mim.

A mulher seguiu o mesmo caminho, mas, para seu desespero, o vento tinha dispersado todas as penas. Depois de procurar por horas, ela voltou com apenas três penas na mão.

- Está vendo – é fácil soltá-las, mas é impossível recolhe-las. Com a fofoca também é assim. Não custa muito espalhar um boato, mas, depois que se espalha, nunca se pode reverter o dano completamente. (completou o sábio)

“O que guarda a boca conserva a sua alma, mas o que muito abre os lábios a si mesmo se arruína.” (Provérbios 13:3)

Pense nisso…


Veja Também: A maneira de dizer as coisas


Referências:

* WARREN, Rick – Uma Vida com Propósitos – Editora Vida 2002
* Pr Silmar Coelho – Males que afligem o ser humano – Ed Central Gospel 2006
* Wikipédia
* joiasdavida.com
* quandoasborboletassecalam.blogspot.com



Arquivado em | , , .



Receba novas postagens por e-mail


ATENÇÃO! - As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Comentário(s):